quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Um bandido presidindo o Senado

Renan Calheiros teve que pôr as mangas de fora! Ao perceber a guilhotina se aproximando do seu pescoço, passou à contraofensiva contanto para isso com a conivência de capangas e outros bandidos tão enredados quanto ele nas teias da roubalheira e do crime organizado! 
A Câmara já o ajudou bastante, votando de madrugada um projeto desses. O país se esfacelando e, ao invés de votarem as medidas que podem nos colocar de novo no rumo correto, não! Votam de madrugada uma lei absurda como essa invertendo os papéis e, transformando os juízes em réus. Seria inacreditável se não fosse no Brasil. 
O povo brasileiro tem que ir às ruas mais uma vez e deixar claro pra esse grupo de meliantes que basta! 
A culpa de termos chegado a esse ponto é do próprio judiciário! O primeiro processo contra Renan já tem mais de 10 anos! Além disso, há outros 11 processos tramitando lá e não andam. Esse facínora já devia ter sido afastado da presidência do Senado, como se fez com o Cunha.
Vamos ver se agora, depois do susto, o STF cumpre seu dever!

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O Senhor dos Anéis

A Joalheria H. Stern apresentou documentos à Polícia Federal que comprovam a compra, pelo ex-governador do Rio e sua mulher, de nada menos que R$ 1.931.828,00 em anéis, colares e outras jóias. Eram atendidos em domicílio e costumavam pagar com dinheiro vivo!
A PF apreendeu também, em sua casa, mais de 300 anéis, além de braceletes, colares e pedras preciosas. Taças de R$ 2.700 reais! Vasos de cristal Baccarat de 16 mil e quinhentos!
Um tesouro das mil e uma noites! Um verdadeiro tesouro de pirata, ou melhor, do pirata.
Recentemente foi atribuida a ele a origem daquelas notas de 100 e 50 reais que apareceram no mar aos borbotões. Dizem que era dinheiro que estava em sua lancha, apreendida pela Polícia Federal, e que foi jogado ao mar para esconder provas.

Por incrível que pareça, isso acaba sendo perfeitamente verossímil, considerando que Cabral recebia propina em dinheiro vivo.

A estimativa de sua "arrecadação" chega a inacreditáveis 224 milhões de reais. Enquanto isso o Estado, que governou por quase 8 anos, está falido! Não há dinheiro para pagar o salário de funcionários! Os hospitais públicos estão em estado de calamidade. Será que não sentem vergonha?

Roubar dinheiro público não é só um crime. São vários crimes cometidos em cascata e conjuntamente! Sérgio Cabral é diretamente responsável por, sabe-se lá, quantas vidas perdidas na ex-cidade maravilhosa e no Estado, responsável pelo sofrimento de milhares de pessoas. E é a consciência disso que está fomentando a indignação crescente, que já vai se transformando em ódio generalizado contra a classe política. Michel Temer menosprezou o episódio do tráfico de influência, dizendo: "No Brasil qualquer fatozinho vira crise!"  
Eles ainda não entenderam direito. O povo está tomando o comando que lhe é de direito, Sr. Temer! O povo não quer esperar pelas próximas eleições para ser enganado de novo e ter que esperar mais 4 anos para fazer outra tentativa. O povo quer que os políticos, nossos empregados, façam o que o queremos agora! Já! 

domingo, 27 de novembro de 2016

Os anéis e os dedos

Eles não aprendem nada e não esquecem nada! É assim com essa classe política brasileira. Depois de tudo o que o pais passou nos ultimos 2 anos, no meio de uma recessão econômica e de uma crise institucional que não acaba, depois de tantos escândalos revelados e tanta gente presa, julgada e condenada, ainda vemos expoentes do governo, ministros como Geddel e Padilha, criarem uma nova crise por causa de um interesse particular!

Nessa altura do campeonato, nem que fosse por medo, ou por cautela, deveriam ter um pouco mais de compostura!

Um governo frágil, contestado, como o do Temer, sujeito ainda a ser deslegitimado pelo TSE até o final do ano, tudo o que não precisa é de mais turbulência! E o então ministro (agora ex) Geddel, diante de tudo isso, só está pensando em fazer tráfico de influência para resolver um problema particular? E o presidente, que deveria estar concentrado em resolver os nós econômicos e institucionais em que estamos metidos, acha tempo para, no seu dizer, "arbitrar conflitos" de natureza estritamente privada? 

Convenhamos! Isso é brincar com fogo! É tripudiar sobre a paciência do povo! Esse partido, o PMDB, esses políticos, estão agindo como a aristocracia francesa diante da Revolução iminente. O povo faminto batendo às portas de Versalhes e a nobreza dando festas e ignorando solenemente a realidade. Ou como a monarquia brasileira, às vésperas da proclamação da República, bebendo e dançando no Baile da Ilha Fiscal, como se o seu mundo não estivesse desabando! Em ambos os casos, deu no que deu. 

Parece que é uma fatalidade, que as oligarquias não percebam quando seu tempo acaba. Isso se chama cegueira psicológica e é um mecanismo de defesa, uma recusa em aceitar o inevitável, uma vez que não estão dispostas a mudar e a mudança é a única atitude aceitável em face de novos tempos. Só existem duas instituições tradicionais, que foram inteligentes o suficiente para conseguir se adaptar aos novos ares, abrindo mão dos acessórios para conservar o principal: a Igreja Católica e a Monarquia Britânica. 

O resto acabou, foi destruído, se desfez como pó, diante das mudanças.  A classe política brasileira se enquadra entre esse resto. O país está se desmanchando e eles continuam preocupados em salvar os anéis. Vão acabar perdendo os anéis e os dedos.

sábado, 26 de novembro de 2016

A preocupação do Diabo

Belzebu deve estar preocupado. Chegou ao inferno um grande concorrente, que pode destroná-lo em nome de uma Revolución pela igualdade nas plagas inferiores.
Afinal, experiência para isso não lhe falta. Desde Sierra Maestra, lá se vão quase 60 anos que aquela peste chamada Fidel Castro se instalou na pobre ilha caribenha e nunca mais saiu do trono.

Fidel teve 60 anos para realizar o sonho comunista, com apoio de uma potência mundial, com o poder total nas mãos e sem oposição. Nem mesmo dentro de seu partido, ela foi permitida. Tal como Stálin, Fidel promoveu expurgos no governo e no partido comunista cubano e chegou até a ajudar, com informações, o exército boliviano a encontrar e matar seu ex-compaheiro Che Guevara, que, diga-se de passagem não era melhor nem diferente de Castro.

Ironicamente, essa é a ética socialista: cada um por si! É a mesma que o PT aplica aqui no Brasil. Se alguém cair, que caia sozinho, o partido fingirá que não conhece. Foi assim com Dirceu, está sendo assim com Vaccari e Palocci.

Pois, Fidel teve 60 anos com total poder, recursos e liberdade de promover o bem estar da população cubana. E o que produziu? Uma ilha desesperadamente pobre, ansiando por uma oportunidade de crescer e se desenvolver, invejando os seus vizinhos ricos.

Está mais do que demonstrado que o socialismo só produz miséria e que o capitalismo, com todos os seus defeitos, é o sistema que mais produziu riqueza e desenvolvimento social e que mais distribuiu essa riqueza e esse desenvolvimento, até mesmo para povos que originalmente estariam fora do seu alcance. Ou alguém vai dizer que o conforto e a qualidade de vida trazidos, por exemplo, pelo uso de antibióticos ou pelo telefone celular nos rincões brasileiros, não seria um mérito colateral do capitalismo desenvolvido nos países "imperalistas"?

Pois o diabo que se cuide. A turma, que está se formando lá, é da pesada: Hitler, Stálin, Franco, Mao, Pol Pot, Che e, agora, Fidel!




Não ao Golpe!

Agora, sim, podemos dizer que está em curso no Brasil uma tentativa de golpe nas instituições! Essa movimentação de parlamentares pela madrugada adentro tentando emplacar uma anistia aos seus próprios crimes e com o aval silencioso do Planalto, não é outra coisa senão golpe! 

Já tentaram de várias maneiras barrar as investigações da Lava Jato e operações afins, até agora sem sucesso. Mas eles não desistem e, com essa inserção descarada de uma anistia no projeto das 10 Medidas contra a Corrupção, o perigo aumenta. Se o povo não tivesse ficado atento, isso já teria passado e, como disse o Diogo Mainardi, são bandidos, eleitos com dinheiro roubado, querendo aprovar uma lei para legalizar esse roubo!

Seremos um país de idiotas e concordarmos com isso. Temos que ir para a ruas e, mais do que nunca, fazer ouvir a nossa voz pacificamente. Mais uma vez pacificamente, mas não se sabe até quando, porque, se mesmo assim, eles ousarem aprovar essa ignomínia, há grande possibilidade de o povo invadir as casas legislativas do Congresso e promover uma nova queda da Bastilha. 

Não é o que se deve desejar para o Brasil. O caos político é a pior coisa que pode acontecer a um país. Nunca se sabe qual vai ser a solução, nem a que custo, nem onde se pode chegar, mas não é o povo brasileiro que está buscando o caos. Quem está flertando com o perigo e conduzindo a nação a esse caos é a classe política, que não entendeu, ou não quer entender que os tempos mudaram, que não vai dar mais para continuarem com as velhas práticas, que o povo se cansou disso e quer mudanças reais. Não só no Brasil. Dá para se perceber o cansaço com a velha ordem no mundo todo. A eleição do Trump nos Estados Unidos é um recado que se segue ao anterior movimento "Ocupy Wall Street" que foi tratado como apenas um fenômeno folclórico, passageiro e sem importância. Deu no que deu.

O Brasil já teve experiências traumáticas quando os que deveriam representar o povo, lhe dão as costas. O povo sai à procura de quem o defenda e, geralmente encontra resposta nas Forças Armadas. Mais uma vez, uma parcela da população - que não é tão pequena quanto a mídia quer fazer crer - já pede abertamente a intervanção militar. O exército, o grande mudo no cenário político nacional, tem os ouvidos bem abertos e, quando, e se, resolver falar, o barulho pode ser ensurdecedor.

Dia 04, vamos todos às ruas, dar o nosso recado, deixar a nossa voz se elevar por toda a nação em proteção à Lava Jato e contra o crime organizado na vida pública!